Invenções e reinvenções

Cláudia A. Bisol e Carla B. Valentini

A relação que o ser humano estabelece com seu corpo e a forma como o utiliza para interagir com os outros e com o meio ambiente é complexa. A comunicação, por exemplo, é uma capacidade essencial para a constituição do sujeito e para a vida em grupo. Porém, a comunicação pode ocorrer através de diferentes formas de usar e configurar o corpo: nas línguas orais, por exemplo, a comunicação precisa passar pela emissão sonora (a voz; a articulação de palavras) e pela capacidade de decodificação das ondas sonoras (ouvir e compreender). Nas línguas gestuais (línguas de sinais), o corpo participa da comunicação com as mãos e com o olhar.

A relação que o ser humano estabelece com o seu corpo passa também pelas ferramentas e instrumentos que são criados e que potencializam o corpo.

Assim, alguém que está com dificuldades auditivas poderá utilizar alguns recursos que facilitem a comunicação oral, caso esta seja a sua escolha (da leitura labial ao uso de próteses auditivas).

A questão da audição: cornetas acústicas do século XVIII e aparelhos auditivos do século XXI.

As invenções são muitas, as mais variadas possíveis. O ser humano segue inventando formas alternativas de se locomover, de se comunicar, de ser produtivo, de ser independente no desempenho de atividades, etc…

A questão da visão: primeira máquina de escrever em braille (1892) e tablet (2016) com display que sintetiza o conteúdo do texto para braille.

Essas ferramentas e instrumentos fazem parte do conjunto de recursos de Tecnologia Assistiva. No entanto, essas ferramentas e instrumentos não operam milagres nos ambientes educativos e de trabalho.

Para além dos objetos, há a possibilidade de uso, a forma, a permanência ao longo do tempo, a adequação às particularidades de cada pessoa… enfim, um conjunto de aspectos que precisam ser considerados para que as pessoas com deficiência possam realmente se beneficiar dos objetos que podem potencializar o corpo.

A tecnologia assistiva, portanto, pode existir de diferentes formas. A capacidade inventiva do ser humano é enorme. Porém, existem alguns elementos que complicam a utilização desses recursos:

  • Recursos financeiros: nem todas as pessoas têm acesso igual, pois há equipamentos de custo elevado para aquisição e manutenção.
  • Informação: nem sempre as pessoas com deficiência e seus familiares conhecem as possibilidades e recursos existentes; às vezes até mesmo os profissionais não têm conhecimento pleno dessas possibilidades e recursos.
  • Abandono: recursos que não levam em consideração a singularidade do usuário podem trazer muito desconforto ou poucos benefícios, levando à subutilização ou desuso.
  • Preconceito: alguns recursos podem ser muito chamativos, aumentando a dificuldade de aceitação social ou promovendo situações desagradáveis para seu usuário.

Inventar e reinventar são características do humano. São as dificuldades e os desafios que movimentam a humanidade em busca de soluções e nos fazem ser melhores como pessoas e como construtores de novas realidades.

Bibliografia
Alper, S. & Raharinirina, S. Assistive technology for individuals with disabilities: A review and synthesis of the literature. Journal of Special Education Technology, v. 21, n. 2, p. 47-64, 2006.
Toboso Martín, M.; Guzmán, C.  Cuerpos, capacidades, exigencias funcionales... y otros lechos de Procusto; Bodies, Abilities, Functional Requirements... and Others Procrustean Beds. Política y Sociedad, v. 47, n. 1, p. 67-83, 2010.

Para citar este texto
Bisol, C. A. & Valentini, C. B. Invenções e Reinvenções. Projeto Incluir – UCS/FAPERGS/CNPq, 2017 Disponível em: <https://proincluir.org/tecnologia-assistiva/invencoes/22-11-2019